Auditoria, Consultoria Legal e Sistemas de Gestão Integrado

Monitoramento da emissão de fumaça preta

Monitoramento de emissão de fumaça preta

 

A fumaça emitida por um veículo ou equipamento é o resultado da combustão do combustível e o oxigênio no motor. A coloração escura (Fumaça preta) indica que o combustível não está sendo queimado corretamente.
Nos veículos movidos a diesel, a combustão libera grande quantidade de material particulado (MP), quantidade muito mais significativa e danosa à saúde do que a liberada pela queima de outros combustíveis.

Por esse motivo, considera-se significativo realizar o monitoramento de fumaça preta em veículos e equipamentos movidos a diesel. A fumaça preta é um indicador de que o veículo ou equipamento não está regular.

A Escala de Ringelmann foi a primeira forma de fiscalização e monitoramento da poluição do ar que consistiu em método para avaliar visualmente os níveis de fumaça da queima de carvão emitidos pelas chaminés das casas europeias a partir de 1898.

A escala Ringelmann é uma escala gráfica para avaliação colorimétrica de densidade de fumaça emitida por veículos movidos a diesel. A escala tem seis padrões com variações uniformes de tonalidades entre o branco e o preto. Os padrões são apresentados por meio de quadros retangulares, com redes de linha de espessura e espaçamento definidos sobre um fundo branco, numerados de 0 a 5.

Os níveis de tolerância para as emissões de fumaça proveniente de veículos automotores movidos a diesel, segundo a escala de Ringelmann, não podem ultrapassar o nível 2 ou 40%, quando o monitoramento/fiscalização estiver sendo realizada(o) em locais com altitude até 500 m. Já em locais que estejam situados em altitudes acima de 500 m, a tolerância é o nível 3 ou 60%, da Escala de Ringelmann.
Outra forma de monitoramento de fumaça preta é o opacímetro. Trata de equipamento eletrônico que permite, por meio de um feixe de luz, avaliar a densidade da fumaça, coletada por meio de uma sonda introduzida no tubo de escapamento, em um compartimento fechado. O opacímetro oferece grande precisão e operação relativamente simples e rápida.

A desvantagem do opacímetro é o valor de custo. Muitas vezes não compensa o uso deste equipamento em empresas que possuem frotas pequenas apesar de ser extremamente eficiente.

Importante ressaltar que em alguns Estados ficou determinado a exigência do opacímetro para o monitoramento da fumaça preta. Caso não haja essa exigência legal fica a critério da empresa utilizar o método mais conveniente para cumprir a exigência de realizar medição de fumaça preta de seus veículos a diesel.

Vale frisar que o monitoramento da fumaça preta deve ser também realizado em empresas que não possuem veículos próprios, mas alugados ou terceirizados. Como exemplo: a empresa que contrata serviços de transporte de carga ou de passageiro se torna co-responsável pela correta manutenção dos veículos contratados.

Desta forma, é necessário que a empresa contratante realize o monitoramento dos veículos alugados ou terceirizados ou cobre sua realização pela contratada.